Resale, nada mais é do que a compra em lojas e sites de revenda de peças usadas. o Que antes era restrito a brechós, ecommerces especializados e bazar das amigas, passou a fazer parte do faturamento de grandes empresas com a loja de departamentos inglesa Selfridges. O tipo de estabelecimento varia de acordo com a marca e o estado das peças.


Então, como saber se vale a pena comprar de 2a mão? Depende do tamanho - e do preço - do seu sonho fashion. Se você procura bolsas de marcas de luxo, joias ou relógios, é possível pagar quase metade do preço da etiqueta, em parcelas no cartão de crédito, em itens com pouquíssimo uso em sites e perfis de instagram especializados.


Se você procura peças para o dia a dia, sobretudo para o guarda-roupa corporativo, sugiro que você procure itens novos em lojas de departamento, se seu orçamento é mais curto, pois você terá mais opções de numeração e cores. Se você tiver uma folga a mais, vale a pena buscar nas lojas OFF ou na seção bazar das marcas que você gosta. Ali, você vai encontrar peças de boa qualidade, novas, de coleções anteriores, cujo preço cai até 70% do que está na etiqueta.


Em ambos os casos, é preciso tomar cuidado antes de passar o cartão de crédito. Leia atentamente as cláusulas de troca e devolução e avalie com cuidado o estado da peça, por dentro e por fora. Inspecione cantos, costuras, bolsos e forros e a composição do tecido/material da peça.


No caso de itens de luxo, cheque o código ou certificado de autenticidade da peça.




Com a imunização avançando em todo mundo, a volta ao trabalho presencial, ainda que em formato híbrido, já é uma realidade. Escritórios mais enxutos, estações de trabalho compartilhadas e aumento de espaços vazios, pede que sejam repensadas as formas de vestir.


Com isso, cresce o número de mulheres que busca ajuda de consultoras de estilo e personal shoppers para ressignificarem seus guarda-roupas corporativos, encontrando um ponto de interseção entre a casualidade das roupas que só aparecem da cintura para cima e looks completos que sejam profissionais e confortáveis para um dia inteiro no escritório.


A chave do look pós pandemia é o tecido. Peças feitas com fios naturais como algodão e lã e artificiais (criados a partir de matéria prima natural), como a viscose e o liocel têm excelente caimento, abraçam o corpo, deixam a pele respirar e são de manutençao razoável.


A modelagem também é um fator importante na hora da escolha das peças que saem de casa para o trabalho: peças amplas, com bom corte e caimento, mas que fiquem longe do corpo, deixam o look organizado e fresco, em dias quentes e abraçam o corpo nos dias mais frios.


Para quem costumava passar o dia em cima do salto, os mocassins e sapatilhas dão conta do recado, enquanto os tênis de couro e sandálias sem salto passam a ser a praxe para quem trabalha em ambientes mais descontraídos.


Mesmo que sua empresa tenha abolido o dresscode, é preciso que você avalie a mensagem que a sua vestimenta transmite. Uma dica: crocs e sandálias tipo chinelo ou conjuntos de moletom oversized vão deixar você com uma aparência infantil, que pouco vai contribuir para o seu sucesso profissional.




Gisele Bunchen e as irmãs. A de cabelo escuro é sua gêmea



A coloração pessoal é o tema do momento no Instagram. Desde profissionais experientes mostrando os resultados e as utilidades de saber os tons que mais valorizam a beleza pessoal até leigos fazendo reels com 2 tecidos, um laranja e um azul, explicando como descobrir sozinha a temperatura da pele.


Por isso, resolvi listar aqui os mitos do teste de coloração pessoal


1. Dá para fazer online.

2. Dá para fazer sozinha

3. O teste só descobre se a pele é quente ou fria

4. Os tons da cartela devem ser usados em todo o look, incluindo na parte de baixo.

5. Dá para fazer o teste maquiada e sem isolar a tintura do cabelo

6. Micropigmentação da sobrancelha não influi no resultado

7. Bronzeado e cabelos grisalhos alteram a cartela pessoal

8. Irmãos têm a mesma cartela de coloração


Nada disso é verdade! O teste de coloração pessoal é realizado apenas presencialmente, pois o resultado depende de luz natural ou a simulação dela, numa pele limpa e avaliando o tom natural dos fios, incluindo a sobrancelha.


A avaliação da cartela pessoal de artistas e celebridades é uma sugestão, baseada em alterações de cor feitas em fotos e na observação da harmonia da beleza pessoal em determinadas cores usadas pela pessoa.


O contraste entre tons de pele, olhos e cabelo é a única avaliação com resultado fiel quando realizado em foto ou online e é a única variação observada quando a pessoa toma sol ou deixa os fios brancos.


O teste de coloração pessoal oferece o diagnóstico dos melhores tons a serem usados próximos ao rosto, pois é a partir do reflexo da luz nas blusas, óculos, brincos, colares, maquiagem e tintura de cabelo que a beleza pessoal sofre impacto.


Irmãos podem ou não ter a mesma cartela de coloração pessoal. O resultado depende da quantidade de melanina, caroteno e hemoglobina que cada pessoa possui.