Você deve ter visto ou lido inúmeras matérias sobre a posse do presidente dos EUA, Joe Biden e sua vice, Kamala Harris.


Um dia histórico e cheio de esperança para o povo americano, foi também pontuado por mensagens não-verbais com muita intenção, propósito e consistência.


Começando pelas cores escolhidas pela Vice Presidente e as ex-primeiras-damas, Michelle Obama e Hillary Clinton no dia da posse e da Dra Jill Biden no evento do dia anterior: o roxo. A cor nos remete à: autoridade, fé , respeito, sobriedade, pois é a cor associada aos sacerdotes da Igreja. Em tons mais claros, é associado à calma e à tranquilidade (características da lavanda) . Michelle Obama e suas filhas usaram variações de roxo na posse do segundo mandato de Obama.

Quanto à mensagem política, o roxo é associado ao movimento de 1913, que advogava pelo voto feminino e à primeira mulher negra a concorrer à Presidência dos EUA em 1972. Em ambos os casos, o material de campanha era em tons de roxo. É também a união das cores dos dois partidos norte-americanos, Democrata (azul) e Republicano (vermelho), ou seja, representa a união.


O azul claro do vestido da primeira-dama e das gravatas do presidente eleito e ex-presidentes democratas, Clinton e Obama, é a cor do partido Democrata e representa estabilidade e proximidade.


Mas, e a escolha dos estilistas e das atrações do evento de posse? Tudo foi absolutamente pensado e planejado para representar os valores e objetivos do governo Biden-Harris. Joe Biden e Hillary Clinton usaram Ralph Lauren, o ícone do estilo americano, Kamala Harris e Michelle Obama usaram peças de designers negros em ascensão e a Dra Biden,usou peças de jovens designers americanos, além de máscara feita de material reciclado.


A escolha de Jennifer Lopez e Lady Gaga também não foi baseada em popularidade. Ambas são descendentes de imigrantes (porto-riquenhos e italianos, respectivamente) e apoiam a causa LGBT. As cantoras também usaram cores que representam valores democratas: JLo, de branco e laço no pesçoco, ícones do movimento sufragista e Gaga, de vermelho e azul, com a pomba da paz.


A poeta Amanda Gorman, jovem negra, filha de mãe solteira, fechou o evento, representando a esperança num futuro melhor, mais inclusivo e diverso para os EUA.




Stella McCartney, Kind Intarsia wool and cotton-blend sweater, £925, net-a-porter.com

Financial Times Fashion publicou, na semana passada, um artigo sobre o feito da pandemia nas coleções de inverno européias. Notou-se, nos últimos lançamentos, uma explosão de cores berrantes, neons e estampas que remetem a psicodelia dos anos 60 nas peças de Stella Mc Cartney, Versace e Chanel, entre outras.



E o que isto quer dizer? Que o consumidor busca as cores e roupas mais alegres para trazer otimisto e leveza ao seu dia a dia. A tendência, que se fortaleceu com o isolamento social, reforça o que já vinha acontecendo no final de 2019: as pessoas querem se expressar por meio da vestimenta.


E existe comprovação científica por trás desta afirmação. O Professor Byron Mikellides, da the Oxford School of Architecture, especialista na psicologia das cores, diz que as cores existem na natureza por 3 motivos: chamar atenção, transmitir informação e evocar emoção.


Embora o significado de cada cor varie de acordo com a cultura, é inegável que cores como rosa neon, vermelho e azul remetam a sensaçõe


s e emoções positivas em qualquer lugar do mundo. Vista-se de amarelo e alguém vai se surpreender, elogiar ou virar o pescoço quando você passar.


E, tão importante quanto a cor no efeito da nossa autoestima, é a modelagem. Aquela que nos veste melhor, nos enfeita e nos valoriza é a que nos traz confiança e um sorriso no rosto.




O ano que passou foi difícil em inúmeros sentidos...Nos fez repensar a forma de nos relacionarmos, de trabalharmos e de nos enxergarmos.


Fosse pela exposição da própria imagem numa tela fria, 40 horas ou mais por semana ou pelo tempo a mais dentro de casa, cruzando com espelhos e dilemas todos os dias, o fato é que tivemos que ajustar o foco.


Assim como muita gente questionou seus afetos, carreiras e propósitos, eu também questionei os meus. Repensei a minha forma de trabalhar e o conteúdo que ofereço às minhas clientes e aos meus seguidores nas redes sociais.


Por isso, a partir de agora, você me verá mais frequentemente no Instagram e, futuramente, no YouTube, falando de estilo, percepção de imagem e de como tudo isso influencia na nossa autoestima. Com isso, o atendimento de consultoria de estilo passa a ser ainda mais personalizado e mais aprofundado, passando a entregar não somente ferramentas que melhorem o vestir e sim, uma proposta para uma nova perspectiva sobre a nova imagem a ser construída.


Para quem ainda não segue, o Instagram é @gabyberaldo!