Buscar
  • Gaby Beraldo

Com o passaporte em mãos


Uma das maiores dúvidas que minhas clientes têm é a mala de viagens internacionais, especialmente quando a agenda prevê reuniões de negócios ou eventos sociais mais elaborados.

A primeira informação que busco é: qual é a temperatura média do local durante a estadia. Com este dado, é possível começar a montar a base da mala inteligente.

Depois, busco informações sobre o roteiro: vai ser uma viagem de lazer ou negócios? Existem reuniões ou jantares/eventos sociais agendados? O país tem alguma questão cultural a ser considerada em termos de vestimenta?

A partir daí é que se inicia o processo de escolha e coordenação de peças a serem levadas para a viagem.

É preciso também pensar na roupa que será usada no avião, o que será colocado na mala de mão e escolher um calçado que seja fácil de tirar e colocar na inspeçao de segurança e após um longo vôo. Lembre-se que a mala pode ser extraviada ou aberta nos aeroportos.

Anote aí os itens indispensáveis na mala de mão:

2 trocas de roupa íntima

2 camisetas de malha

1 jaqueta ou casaco estruturado (caso seja outono/inverno no destino)

1 lenço ou pashmina

2 pares de meia

remédios de uso contínuo

óculos de grau e de sol

bolsas e equipamentos eletrônicos de valor

A necessaire deve ser dividida, por conta das instruções de segurança: leve uma escova de dentes, uma miniatura de pasta de dente, um hidratante de rosto e um BB cream. Os itens líquidos ou em creme não devem ultrapassar 100 ml e devem estar acondicionados em sacos transparentes.

Resolvida a bagagem de mão, passamos para a definição das cores base da mala. Escolher dois tons neutros facilita enormemente a coordenação de peças e evita que você leve peças demais. As peças mais pesadas como casacos, calçados e calças vão em tons neutros e os complementos (regatas, camisas, blusas e acessórios) vão em cores mais vibrantes para deixar os looks mais alegres.

Se sua viagem inclui jantares e reuniões, cheque a política de vestimenta do local. Muitos restaurantes pede traje esporte fino e algumas empresas possuem dresscode restrito. No caso de viagens de negócios, evite calças ou saias mais justas ou cores muito vibrantes. Se houver eventos a beira mar ou na piscina, leve um maiô comportado e uma saída de praia ou vestido que cubra todo o corpo e tenha um comprimento um pouco maior do que o que você usa no Brasil.

Pode parecer um exagero, mas existem códigos de vestimenta não escritos que ferem a cultura do país. Por exemplo:

- Nos EUA as crianças têm que usar a parte de cima do biquini, independente da idade

- No Vaticano, não se pode fazer a visita com decotes ou tops de alça. É preciso cobrir o colo e os ombros

- Na India, na Turquia e em alguns países muçulmanos, não é permitido que mulheres entrem em determinados locais com a cabeça e as pernas descobertas

- Na Europa, o topless é permitido mas as calcinhas de biquini muito pequenas não são muito "bem vindas"

- Alguns restaurantes pedem blazer para os homens e traje social para mulheres

Depois de todas estas considerações, pense na sua agenda e considere 3 partes de cima para uma parte de baixo, 1 tênis, 1 sapatilha, 1 sandália rasteira e 1 salto (caso necessário), 1 jaqueta jeans ou casaqueto de malha e 1 calça jeans.

Se você achou tudo isso muito complicado, contrate o serviço de mala coordenada. Vou até sua casa e crio um esquema personalizado, de acordo com o seu roteiro e crio looks coordenados para sua viagem. Solicite um orçamento aqui

*foto: @theblondesalad/Chiara Ferragni

#malademão #maladeviagem #lookdeaeroporto #passaporte

0 visualização