Buscar
  • Gaby Beraldo

O impacto do ambiente de trabalho na sua auto estima


Nós, mulheres, já nascemos com o gene da culpa. Culpa de trabalhar demais, de menos, de não ter tempo para os filhos, de não ser a dona de casa perfeita, não sermos magras – saradas – fitness - sem gluten – sem lactose e, por aí vai...

De acordo com um estudo feito recentemente na Inglaterra, 71,5% das entrevistadas revelou que o ambiente de trabalho afetou negativamente sua auto estima. As razões apontadas iam desde “não se sentirem adequadas ou competentes” até “medo de cometer erros”

A Superintendente da Polícia inglesa Tor Garnett, 31 anos (foto) disse num evento da Revista Bazaar que um de seus maiores problemas era ser vista como “muito simpática e jovem” e que esta percepção fazia com que não fosse levada a sério no ambiente de trabalho.

“Simplesmente, parei de me culpar por ser quem sou. Ser acolhedora foi a maneira que encontrei para lidar com o tipo de trabalho que faço. E qual é o problema em ser educada? Sou enérgica quando é necessário”, diz ela.

O fato é PRECISAMOS ACREDITAR EM NÓS MESMAS. Precisamos ter confiança na nossa capacidade de realizar. E a auto estima, da hora que saímos de casa até o momento que vamos dormir, tem tudo a ver com isso.

Quando aquele “diabinho” aparecer no seu ombro e questionar suas ações, pare, respire fundo e faça o seguinte:

  1. Use a lógica. Relembre porque você está ali: releia seu currículo, coloque no papel todos os seus cases de sucesso, pense em tudo o que você já conquistou etc.

  2. Avalie seu histórico. Se você acha que precisa aprimorar algum quesito técnico, procure informação. Leia artigos na internet, compre um livro, faça um curso, peça orientação.

  3. Prepare-se: se o objetivo é um novo emprego, uma promoção ou uma reunião, informe-se sobre os assuntos/aspectos técnicos necessários, sobre o ambiente da empresa e, sobretudo sobre as pessoas envolvidas no processo. Estar informada transmite credibilidade e traz confiança

  4. Não se compare com os outros. Cada um tem uma história e nem sempre o que se apresenta é a realidade.

  5. Saiba priorizar. Entenda que o dia tem 24h e que você não precisa estar em todos os lugares ao mesmo tempo, sendo perfeita em todas as situações e com todas as pessoas da sua vida.

  6. Avalie sua comunicação não verbal. O que você veste e como você se porta estão alinhados com seus objetivos profissionais? Suas ações e sua postura refletem que você tem interesse, experiência e competência no trabalho que executa? Se não, olhe para seus superiores e líderes no mercado e busque referências ou peça ajuda a um profissional.

  7. Cuide-se: fisicamente, mentalmente e emocionalmente. Um sorriso quebra barreiras, uma boa noite de sono melhora a produtividade e a criatividade e aquela meia horinha de almoço trocada por uma manicure podem fazer maravilhas por você. Lembre-se de que é um ser humano. E seres humanos têm dias ruins, vão ao banheiro e podem errar.

#torgarnett #autoestima #imagemcorporativa #dresscode #reputação #mulhernotrabalho

8 visualizações