Uma das etapas da consultoria de imagem pessoal é a avaliação do acervo da cliente, fase que muitos chamam de "closet cleaning"ou "detox do armário".


Na verdade, esta é a parte na qual fazemos uma curadoria do que a cliente já tem, analisando se cada uma das peças tem a ver com a imagem que se quer estabelecer, se valoriza o tipo físico, se está em bom estado de conservação ou se pode ser customizada para melhor funcionar no corpo da cliente.


Após a avaliação, montamos uma lista de itens básicos para fazer com que o que já exista renda mais looks. É ali que vamos começar a criar o guarda-roupa inteligente, selecionando peças atemporais, com corte clássico e com a melhor qualidade que o orçamento permitir.


Na consultoria de estilo pessoal, não importa se você tem R$1.000, R$5.000 ou R$20.000 para gastar (acredite, já trabalhei com estes 3 valores), o que vale é a forma como você investe este dinheiro. À medida em que você for aumentando seu poder aquisitivo, as peças vão sendo substituídas por outras de melhor qualidade. Mas, é fundamental que: elas sirvam no corpo que a cliente tem naquele momento, tenham um bom caimento, sejam adequadas a rotina da cliente (seja ela mãe, alta executiva ou aposentada)


Valorizar o básico não significa ser simples ou sem graça. Quer dizer que você tem peças-chave para um guarda-roupas versátil, funcional e que representa quem você é!




Com os novos ares da inclusão e da diversidade, o mercado tem se voltado para a geração "silver", ou seja, a população acima dos 60 anos.


O mercado de beleza e da moda puxam esse bonde ressaltando o "ageless", convidando mulheres belíssimas como Isabella Rosselini, Veluma entre outras, para estrelar campanhas de cosméticos e desfiles de moda.


Mas, é preciso ser famosa para ter estilo na maturidade? Claro que não. O estilo vem com a experimentação e com a maturidade. É possível ter um estilo criativo e moderno aos 70 anos, Tenho uma cliente que é artista plástica e usa looks super originais - e adequados - para a sua idade e estilo de vida.


O segredo é evoluir, assimilar a idade e manter o visual jovem, sem querer parecer com a filha ou a neta. As modelagens mudam, os comprimentos aumentam, os tecidos se alternam, mas a essência está ali. A criatividade segue forte nas estampas étnicas , a modernidade segue nas bijoux com design, a descontração se mantém nos looks com jeans e sapatos sem salto. Invista em qualidade, caimento, tecidos naturais, acessórios de impacto e muita autoaceitação.





homeoffice

Em tempos difíceis como os que estamos passando agora, com distanciamento social e uma pandemia que assola o mundo, grande parte das pessoas está trabalhando de casa.


Para quem está acostumado com a rotina de reuniões, dresscode e a tarefa de coordenar a agenda com o look do dia, fazer homeoffice parece um sonho: trabalhar de pijama o dia todo, não usar maquiagem ou ficar com a roupa da academia até o fim do dia.


Pode parecer ideal, mas a verdade é que a maneira como você se veste e se porta durante o período que estiver em casa influencia na sua produtividade e até mesmo na sua auto estima!


Você não precisa fazer uma super maquiagem nem calçar saltos ou usar um blazer, porém, é preciso se trocar, arrumar os cabelos e colocar um look completo: vestido, calça e blusa ou o que você quiser, que seja adequado para o seu ambiente de trabalho presencial.


Se você está procurando emprego e tem uma entrevista via internet, isto é ainda mais importante: cuide da sua aparência! Use uma camisa social ou uma blusa mais bonita, num tom que valorize você, faça maquiagem e escova SIM. E, antes do horário marcado, teste a distância entre a cadeira e a câmera e veja como sua imagem será projetada para o entrevistador: cheque a iluminação, o fundo da imagem, as sombras no seu rosto, altura da cadeira e, principalmente o ângulo em que você aparece.